Confira nossa página de notícias

Transtorno Obsessivo-compulsivo - TOC
Postado em: 27/04/2017 - 16:20
 

t


Comportamento perfeccionista, preocupação excessiva com limpeza, contaminação, organização, simetria, verificação constante de portas, janelas, gás ou luz acesa, ansiedade se algum objeto não está no lugar onde costuma deixar são exemplos de sintomas do transtorno obsessivo-compulsivo (TOC) e não meras “manias”. Este é um “jeito de ser” visto por muitas pessoas como de alguém chato, esquisito e difícil de conviver. Entretanto, muito sofrimento está envolvido neste “jeito de ser”, um sofrimento muitas vezes vivido em silêncio, pois tem vergonha de compartilhar com pessoas próximas o que pensam e que justifica seus atos. Apesar de reconhecerem que são pensamentos irracionais e excessivos, as pessoas com TOC não conseguem controlá-los voluntariamente.

Esses pensamentos repetitivos que invadem a mente de forma persistente e intrusiva são chamados de obsessões, manifestadas através de ideias, pensamentos, imagens, números, palavras, frases com conteúdo negativo e catastrófico. As pessoas com TOC realmente acreditam no poder destes pensamentos e temem que algo ruim aconteça caso não realizem determinados rituais, chamados de compulsões. As compulsões são comportamentos ou atos mentais repetitivos que geram aparente alívio da ansiedade porque evitam que algo ruim aconteça. Por exemplo, ao sair de casa a pessoa precisa retornar inúmeras vezes para verificar se as luzes estão apagadas e se a porta está fechada. Ela acredita que se não fizer isso pode dar um curto circuito e pegar fogo na casa ou se deixar a porta aberta alguém pode entrar e assaltar. Entretanto, mesmo após verificar uma vez isso não é suficiente, a pessoa gasta muito tempo e energia fazendo inúmeras vezes, da próxima vez que for sair de casa o problema se repete. As obsessões e compulsões ocupam bastante tempo do dia, trazendo prejuízo nas relações pessoais e na rotina de trabalho, estudos e outras atividades. Outros exemplos são lavar várias vezes as mãos e tomar longos banhos várias vezes por dia para evitar contaminações, preocupar-se com o alinhamento dos objetos como quadros, enfeites, organização meticulosa e sempre da mesma forma do guarda-roupa e não conseguir sair de casa enquanto não estiver tudo ok, assim como a evitação de determinados comportamentos, locais e até pessoas, etc.

Apesar disso, muitas pessoas não procuram ajuda, não sendo diagnosticadas e tratadas. Talvez a maioria dos portadores de TOC e seus familiares desconheçam que esses sintomas constituem uma doença para a qual já existem tratamentos bastante eficazes. Nesta fase, existem muitos conflitos entre a pessoa com TOC e aquelas que com ela convivem.

A psicoterapia aliada a um tratamento medicamentoso tem se mostrado muito eficaz no tratamento de pacientes com TOC. No caso da terapia cognitivo-comportamental tem-se obtido ótimos resultados, mas o paciente precisa estar ciente desde o início que precisará envolver-se ativamente no processo terapêutico e estar disposto a tolerar a ansiedade durante o tratamento que envolve como parte do processo a evitação de que as compulsões sejam realizadas. Claro que o tempo do paciente é respeitado e ele será amparado pelo psicoterapeuta e por estratégias que aprenderá na terapia para lidar com tais situações. A ansiedade, ao ser enfrentada, vai gradualmente diminuindo, até que geralmente seja extinta ou reduzida a níveis que não interfiram na funcionalidade da vida do paciente. Na terapia também se busca identificar os gatilhos externos e internos das obsessões e verificar a distorção que existe nestes pensamentos que surgem de forma automática e são os desencadeadores de emoções e dos comportamentos típicos do paciente com TOC.

  

 
Autor: Andrea Rapopor -Doutora em Psicologia do Desenvolvimento Especialista em Psicoterapia cognitivo-comportamental  
 

MUSP     Links   Contato

 

Sociedade Civil constituída e administrada por psicólogos. Em atividade desde 1996, foi pioneira na implantação de rede de atendimento psicológico no Estado do Rio Grande do Sul. (CRPJ 07/0124).  
  • Institucional
  • Serviços
  • Parcerias
  • Artigos
  • Notícias
  • Fotos e Vídeos
  • Fale Conosco
  •   (51) 3333.2430
    (51) 3321.3215

    musp@musp.com.br
       
    Unidade  
    Rua João Abott, 482  
    Petrópolis - Porto Alegre/RS    
         
         
    © Copyright 2013 - MUSP. Site desenvolvido por RE Telecom