Confira nossa página de notícias

LIMITES: GERENCIAMENTO NO CONTEXTO ESCOLAR
Postado em: 03/06/2016 - 11:09
 

A falta de limite na educação tornou-se um problema alarmante em razão da dificuldade que os pais ou responsáveis encontraram em dizer não. Se percebe que alguns pais  tem medo de perder o amor de seus filhos, transferindo a estes o poder de decisão.

            A escola também deve caminhar dando continuidade ao cumprimento de regras e limites para a formação da criança. Pais e escola devem caminhar juntos, tendo o mesmo objetivo: a formação e o desenvolvimento da criança.

            É importante que pais e escola possam colocar em prática os itens que seguem:

  • Fazer o aluno compreender que seus direitos acabam onde começa os direitos dos outros;
  • Dizer SIM sempre que possível e NÃO sempre que necessário;
  • Dizer NÃO quando houver uma razão concreta e explicar o porquê do NÃO quando necessário;
  • Ensinar a tolerar as frustrações;
  • Evitar que o aluno pense que todos devem satisfazer os seus desejos;
  • Discernir o que é uma necessidade e o que é apenas desejo;
  • Dar o exemplo;

CONSEQUENCIAS DA FALTA DE LIMITES:

  • Desinteresse pelos outros;
  • Falta de concentração;
  • Falta de capacidade de suportar qualquer mínima dificuldade;
  • Falta de persistência;
  • Desrespeito pelo outro: colega, irmão, familiares, pais, professores.

COMO NÃO PERDER A AUTORIDADE AO DISCIPLINAR:

  • Manter a  referencia de  liderança:  ( havia  outro expressão neste item ...)
  • Tentar resolver em sala de aula – em último caso solicitar ajuda;
  • Não se igualar ao aluno;
  • Modificar o planejamento – Nem toda a turma tem o mesmo interesse;
  • Cumpra o que disse;
  • Seja coerente na sua fala;
  • O aluno adolescente precisa de contenção, comportamento perturbador é um pedido de socorro.

DIZER NÃO AO ALUNO É UM ATO DE AMOR E RESPEITO CONSIGO PRÓPRIO E COM O OUTRO

  • Dar limites não é ser autoritário: ao ouvir falar em limites muita gente interpreta logo como licença para exercer uma postura autoritária, de controle total ou de violência.
  • AUTORITÁRIO: é aquele que exerce o poder utilizando apenas seu ponto de vista, a força física ou o poder que lhe confere sua posição, não levando em conta o que o outro deseja ou pensa.
  • TER AUTORIDADE: é ouvir e respeitar seu filho, agindo algumas vezes, de forma mais dura do que gostaria, mas sempre com o objetivo de colocar limite para o seu bem.

Precisamos resgatar, o quanto antes, o verdadeiro conceito de limite, pois os pais de hoje não sabem ao certo o seu significado, algumas escolas também não. O amor de um pai para com seu filho deve ser incondicional, mas deve ser um amor com limites. Vale lembrar que o não é tanto ou mais importante que o sim. Dizemos não àqueles que amamos!

 
Autor: Gabriela Pacheco - Psicóloga - CRP: 07/11684
 

MUSP     Links   Contato

 

Sociedade Civil constituída e administrada por psicólogos. Em atividade desde 1996, foi pioneira na implantação de rede de atendimento psicológico no Estado do Rio Grande do Sul. (CRPJ 07/0124).  
  • Institucional
  • Serviços
  • Parcerias
  • Artigos
  • Notícias
  • Fotos e Vídeos
  • Fale Conosco
  •   (51) 3333.2430
    (51) 3321.3215

    musp@musp.com.br
       
    Unidade  
    Rua João Abott, 482  
    Petrópolis - Porto Alegre/RS    
         
         
    © Copyright 2013 - MUSP. Site desenvolvido por RE Telecom