CASAIS ATUALMENTE

0
53
CASAIS ATUALMENTE
 1- MUSP – Como vocês percebem atualmente os casais, neste momento de vida onde a tecnologia, mercado de trabalho, o tempo corrido estão presentes de maneira intensa.

Luis Juan Castagnini *:

– Entendo que o mundo moderno nos leva para uma blindagem emocional e sensorial como uma forma de evitar que tudo o que vem do mundo exterior não nos atinja. Nos fechamos na nossa concha.

Este processo prejudica as relações de casal. Por exemplo, é frequente verificar a distância estabelecida pelos casais quando usando tecnologia que um celular ou outro dispositivo similar proporcionam interrompendo o dialogo fluido de um olhar, uma palavra ou de um gesto de carinho, afastando-os cada vez mais dos objetivos em comum que como casal deveriam estar cuidando.

Fatores como excesso de carga de trabalho e uma vida com agenda individual muito comprometida faz com que o casal não tenha tempo para momentos suficientes de diálogo e intimidade que reforcem os projetos de vida em comum.

 

2-MUSP – Quais os desafios deste casal atualmente?

 Luis Juan Castagnini*:

Acredito que alguns dos desafios dos casais atualmente passam por precisar estar atentos aos limites no uso da tecnologia, administrar melhor o tempo para construir em conjunto, buscar vínculos afetivos duradouros e manter uma comunicação ativa.

3-MUSP – Com este momento de comunicação intensificada pela tecnologia como isto pode ajudar ou  dificultar nas relações?

Luis Juan Castagnini*:

– Quando a tecnologia é utilizada alinhada com o equilíbrio de nossas vidas, se torna uma aliada indiscutível facilitado o acesso à  informação que permite a construção de nosso caminho. O uso obsessivo da tecnologia prejudica de forma profunda os relacionamentos. Nos isola e nos leva para um comportamento onde esta pele paquidérmica (que nos mesmos criamos) nos afasta de sentirmos a vida na sua essência. Ficamos paranoicos, egoístas e alienados.  Paramos de ver em profundidade a verdadeira essência do outro. Somos superficiais e imediatistas em nossas relações. Não ouvimos mais o que alguém tem a nos dizer. Perdemos a habilidade do contato físico, Deixamos de olhar no olho do outro.

É bom estar atento para que a tecnologia esteja a nosso serviço na busca de um relacionamento verdadeiro comigo mesmo, com o outro e com a comunidade na qual estou inserido.

Luis Juan Castagnini: Facilitador de Biodança, formado pela Escola de Biodanza  de Porto Alegre – Rio grande do Sul –com especializações nas áreas Organizacionais e de Educação Biocêntrica, Treinner PNL pela Escola Livre de Porto Alegre e Coach pelo Instituto Brasileiro de coaching de São Paulo. : Diretor da Empresa Entera Competências comportamentais, com sede em Porto Alegre – RS. http://entera.com.br/.

Autor: Luis Juan Castagnini em entrevista para MUSP
SHARE

LEAVE A REPLY